Jornal Econômico Prime destaca o papel histórico de Mario Garnero na construção da confiança antes das eleições presidenciais de 2002 no Brasil

Fórum das Américas

19 de jul. de 2012

SÃO PAULO , 19 de julho de 2012 /PRNewswire/

Enquanto o Brasil se aproximava da turbulência financeira em 2002, Mario Garnero liderou esforços para acalmar os mercados globais para a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva , o homem que governou o Brasil por dois mandatos presidenciais (2003- 2006; 2007-2010), período de crescimento econômico com inclusão social sem precedentes na História do Brasil.

O Brasil Econômico , um importante jornal de negócios e economia, está publicando uma série de matérias especiais sobre aquele fatídico ano de 2002 e como as alianças foram forjadas para permitir uma próxima década de estabilidade e prosperidade no Brasil .

Garnero, que fundou o Brasilinvest, o banco comercial pioneiro do Brasil , era um velho conhecido de Lula desde os dias em que o ex-presidente liderava o Sindicato dos Metalúrgicos na periferia de São Paulo . Garnero então presidiu a Associação Brasileira de Montadoras. À medida que os dois negociavam a melhoria das relações capital-trabalho no Brasil no final da década de 1970, foi lançada uma base de confiança comum.

Essa confiança foi fundamental quando Lula, derrotado em eleições anteriores, concorreu pela quarta vez à presidência do Brasil em 2002.

As perspectivas de uma vitória de Lula assustaram os mercados globais. Sempre que Lula assumiu a liderança nas pesquisas de opinião pública, o real se desvalorizou ainda mais em relação a todas as moedas internacionais e o prêmio de risco do Brasil subiu para 2.500 pontos.

Algumas firmas de investimento chegaram a elaborar ferramentas estatísticas elaboradas que registraram Lula como vetor de instabilidade e provável inadimplência – o chamado "lulameter".

A direção do Partido dos Trabalhadores de Lula ( PT ) aproximou-se de Garnero e pediu-lhe que realizasse uma "política de proximidade" com Wall Street, instituições financeiras multilaterais e o establishment de Washington .

O presidente da Brasilinvest, que afirma ter sido movido por "um senso de dever patriótico", manteve contato com chefes do Partido Republicano, agências de classificação de risco, bancos de investimento e comunidade política para que Lula pudesse ser visto sob uma luz mais favorável.

Um dos pilares dessa estratégia ganhou corpo com a célebre " Carta ao Povo Brasileiro " – um firme compromisso do PT em honrar os contratos internacionais.

No governo Lula, o Brasil se tornaria um credor internacional líquido, com reservas cambiais superiores a US$ 370 bilhões - e, assim, figuraria como membro do grupo BRIC de mercados em crescimento. As conquistas econômicas do governo Lula ajudaram a eleger sua sucessora, a atual presidente Dilma Rousseff .